Pablo Cuevas derrota Guido Pella e conquista o Rio Open pela primeira vez

22.Fev.2016

Responsável por eliminar o favorito Rafael Nadal na semifinal, o uruguaio Pablo Cuevas derrotou o argentino Guido Pella, na noite deste domingo, no Jockey Club Brasileiro, por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 6/7 (5) e 6/4, e conquistou o título do Rio Open apresentado pela Claro. Foi o quarto título da carreira do tenista de 30 anos, o primeiro dele da série ATP 500. Com o troféu, Cuevas, atual 45º do ranking mundial, vai somar 500 pontos e se aproximar dos top 30 na lista que será divulgada nesta segunda-feira. Seu melhor ranking da carreira é o 21º lugar, obtido em março do ano passado.

Na decisão deste domingo contou mais a experiência do uruguaio contra Pella, que disputava sua primeira final da carreira. Mesmo tento eliminado jogadores como o norte-americano John Isner, cabeça de chave número 4, e o austríaco Dominic Thiem, favorito número 5, no caminho para chegar à final, o argentino de 25 anos não conseguiu repetir o feito na decisão.

O jogo começou equilibrado e foi interrompido no 3 a 3 por causa da chuva. Cerca de 3h20 depois, a partida foi reiniciada, e o uruguaio conseguiu a quebra, fazendo 5 a 4. Sacando muito bem, fechou no game seguinte. O segundo set seguiu parelho e nenhum dos dois conseguiu a quebra, levando a decisão para o tie-break. Cuevas abriu 5 a 4, mas o argentino fez belas devoluções de saque e acabou empatando ao fazer 7/5. O set decisivo também foi decidido nos detalhes. Cuevas, que deu 14 aces na partida contra quatro do rival, abriu 5 a 4, com saque do argentino. No primeiro match-point fechou a partida.

"Agradeço o apoio dos torcedores nesses dias. Sei que todos queriam Nadal na final, mas de qualquer forma, obrigado", disse o uruguaio no discurso após o título. Mais tarde, na coletiva do campeão, revelou a admiração por Gustavo Kuerten, que lhe entregou o troféu. "É um grande prazer receber o troféu das mãos do Guga, um dos jogadores que eu mais admirava. Cheguei a sair mais cedo da escola para ver jogos dele em Roland Garros. Depois, no ano da despedida dele, tive o prazer de enfrentá-lo", lembrou.

Cuevas, que recebeu premiação de R$ 1.217.749,50, comemorou o fato de um tenista sul-americano vencer o Rio Open - nas outras duas edições os campeões foram os espanhóis Nadal, em 2014, e David Ferrer, em 2015. "Os espanhóis estão dominando os torneios no saibro, por isso foi importante termos dois sul-americanos disputando a final aqui", disse Cuevas, que não alcançava uma decisão desde abril do ano passado, em Istambul.

O uruguaio só enfrentou jogadores canhotos na competição. "Foi algo muito raro, porque talvez o circuito tenha uns 20% de canhotos. De uma certa maneira foi bom pra mim, porque não tive que mudar muito minha tática", contou.

Pella lamentou a derrota, mas tentou ver o lado positivo. "Foi a primeira vez que chego a uma final de um torneio desse nível. Fizemos um bom jogo, e ele foi melhor e mereceu o título. Tenho muito o que melhorar e vou seguir trabalhando", disse o canhoto, que chegou ao torneio como 71º do ranking e ficará próximo dos top 40 nesta segunda, sua melhor posição na carreira.

Compartilhe