Monteiro supera Bellucci e tenta colocar um brasileiro na semifinal do Rio Open

24.Fev.2017

No primeiro duelo entre brasileiros na chave principal do Rio Open apresentado pela Claro, Thiago Monteiro levou a melhor sobre Thomaz Bellucci, nesta quinta-feira, pelas oitavas de final, em jogo que invadiu a madrugada no Jockey Club. Com o público na quadra Guga Kuerten se dividindo na torcida, o cearense de 22 anos fez 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (8), 3/6 e 6/3, alcançando seu melhor resultado em um torneio ATP 500.

O número 2 do país volta à quadra nesta sexta-feira, com boas chances de colocar um brasileiro pela primeira vez na semifinal do maior torneio de tênis da América do Sul. O adversário é o jovem norueguês Casper Ruud, de 18 anos, que recebeu convite da organização, no quarto jogo da quadra central, com rodada começando às 15h. Os últimos ingressos estão à venda no site www.tudus.com.br e na bilheteria do Jockey Club, na entrada do complexo.

Ruud alcançou as quartas com a vitória sobre o espanhol Roberto Carballes Baena, que veio do qualifying, por 6/7 (4), 6/4 e 7/6 (3), numa batalha de quase três horas. 

A partida entre Monteiro e Bellucci foi a primeira entre os dois no circuito. Eles se conhecem há quase dez anos, e fizeram a pré-temporada juntos. Embora Bellucci vinha de uma boa estreia - vitória sobre o japonês Kei Nishikori, número 5 do mundo -, Monteiro mostrou que o Rio Open lhe traz boas vibrações. No ano passado, venceu o francês Jo-Wilfried Tsonga, então 9º colocado do ranking, na estreia, e ficou conhecido do público. Atualmente, 85º do mundo, Monteiro chegou a ultrapassar Bellucci por uma semana, no início do mês, como número 1 do Brasil, e pode assumir a posição novamente se vencer nesta sexta.

"Infelizmente tivemos de jogar cedo no torneio, mas estou feliz com a vitória. Tracei um plano de jogo e conseguir colocar em prática, me mantendo tranquilo mesmo nos momentos em que ele foi melhor", disse Monteiro. Já Bellucci lamentou a derrota. "Não me senti fisicamente bem na partida. No segundo set já estava me sentindo mal, e no terceiro set 'morri'".

Monteiro começou a partida melhor, quebrando o saque de Bellucci e abrindo 3 a 0. O jogador de Tietê devolveu a quebra e a partida chegou no tie-break. Bellucci teve chance de fechar sacando no 6 a 4, e no 8 a 7, mas foi Monteiro que fechou, com um ace e uma bola na linha, fazendo 10/8.

No segundo set, a partida seguiu equilibrada até Bellucci, atual 76º do ranking mundial e que já figurou na 21ª posição, quebrar o saque de Monteiro no 5 a 3, para fechar na sequência. O cearense, que alcançou as quartas de final do ATP 250 de Buenos Aires na semana passada, não se abalou e começou o set decisivo melhor. Quebrou o serviço de Bellucci, abrindo 3 a 0, e se manteve na frente até fechar por 6/3.

Será a primeira vez que Monteiro enfrentará Ruud, atual 208º do mundo. O norueguês, ex-número 1 do mundo juvenil, conquistou um torneio challenger e dois futures no ano passado e subiu 900 posições no ranking. Nesta temporada, disputou seu primeiro Grand Slam, vencendo um jogo do qualifying do Australian Open. "Acompanhei o final da partida dele, que foi antes da minha. Ele está tendo uma ótima semana, joga sem pressão, tem um estilo agressivo. Então espero me recuperar bem porque vai ser uma partida difícil", avaliou Monteiro.

Rio Open presta homenagem a brasileiro André Silva, diretor do Masters 1000 de Cincinnatti

A organização do maior torneio de tênis da América do Sul homenageou na noite desta quinta-feira o brasileiro André Silva, diretor do Masters 1000 de Cincinnati, um dos principais torneios do circuito mundial. O brasileiro, que trabalhou por anos na ATP, teve papel importante nos bastidores para a realização de um ATP 500 no Rio. 

"Estou emocionado, não esperava receber uma homenagem como essa. Quero agradecer pessoas como o Meligeni (ex-jogador Fernando Meligeni), o André Sá (jogador de duplas), o Lui (diretor do Rio Open, Luiz Carvalho) e o Pardal (diretor de Relações do Rio Open, Ricardo Acioly). Sem esses nomes não chegaria onde cheguei", disse Silva, na quadra Guga Kuerten, após receber uma placa comemorativa.

Natural de Campinas, Silva jogou o circuito juvenil e seguiu o caminho do tênis universitário. Com diploma em gestão esportiva na Universidade da Carolina do Sul, passou pela IMG Academy, de Nick Bollettieri, antes de começar a trabalhar na ATP como um tour manager.

Com facilidade de comunicação e bom relacionamento com os jogadores, se tornou vice-presidente do Departamento de Relações com os Tenistas e, em 2007, assumiu o cargo de chief player officer. Também trabalhou diretamente com o Conselho da ATP e dos jogadores, além de ser diretor do ATP World Finals. 

Depois de mais de uma década na ATP, Silva foi trabalhar na empresa do suíço Roger Federer, a TEAM 8, até assumir o cargo de diretor do Masters de Cincinnati, no ano passado. 
 

Compartilhe