David Ferrer e Sara Errani - campeões do Rio Open 2015

23.Fev.2015

O espanhol David Ferrer não deu chances para o italiano Fabio Fognini e faturou o título do Rio Open apresentado pela Claro, na noite deste domingo, com a vitória por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/3, em 1h23. Na decisão, contou mais o histórico de Ferrer contra o italiano - nunca havia perdido os sete jogos anteriores  - do que o fato de Fognini ter deixado para trás o favorito Rafael Nadal na semifinal.

Pelo título, o espanhol, cabeça de chave número 2, recebeu U$ 342 mil de premiação e somou 500 pontos no ranking mundial. Fognini, favorito nº 4, ficou com U$ 154 mil e 300 pontos. O Rio Open apresentado pela Claro é o maior torneio de tênis da América do Sul, com disputas simultâneas de um ATP 500 e de um WTA International.

O troféu do Rio Open foi o segundo de Ferrer nesta temporada - o primeiro veio em Doha, em janeiro. Já Fognini não disputava uma final de simples desde abril de 2014, quando foi vice do ATP 250 de Munique. Neste ano foi campeão da chave de duplas do Aberto da Austrália, ao lado do compatriota Simone Bolelli.

Com o título no Rio, Ferrer , de 32 anos, chegou a marca de 23 troféus na carreira, sendo sete deles na América Latina, tornando-se o jogador que mais venceu na região. O ex-número 3 do mundo, atual nono, é o segundo melhor jogador de saibro em atividade, atrás de Nadal. Na final, na lotada quadra central do Jockey Club Brasileiro, começou jogando em ritmo forte e deu poucas chances a Fognini, 28º do mundo. Sem sacar bem, o italiano não conseguiu buscar a reação como aconteceu na partida contra Nadal, em que perdeu o primeiro set e virou.

"Desde que cheguei aqui, vivi momentos especiais. Fui ver o carnaval, com Guga e Rafa (Nadal), e tive uma semana ótima. Prometo aprender a sambar para o ano que vem", brincou Ferrer, que mesmo com mais de 600 vitórias na carreira, se emocionou muito com o título no Rio. O finalista de Roland Garros 2013 agradeceu o público brasileiro e sua equipe. "Eles me apoiam sempre, seja nos momentos bons como nos maus. Estou muito contente por começar bem o ano, vencendo dois dos três torneios que joguei, também é muito motivador ganhar um torneio que ainda não tinha vencido", disse o espanhol, que foi semifinalista no Rio em 2014.

Fognini explicou por que não conseguiu equilibrar a partida contra Ferrer. "Foi uma semana muito boa, mas perdi a final. Na semana passada, em São Paulo, tive altos e baixos, mas aqui joguei melhor, fui mais regular. Porém, para ganhar de Ferrer no saibro, precisava de algo mais, de estar mais forte fisicamente e mentalmente. Tive dois jogos difíceis, na semifinal contra Nadal e nas quartas contra Delbonis. David chegou na final em melhor condições do que eu. Ganhar dele em condições iguais já é difícil, imagina estando abaixo", avaliou Fognini, que já havia decidido um título contra Ferrer, em Buenos Aires, no ano passado.
 


Errani conquista título do Rio Open com vitória sobre jovem eslovaca
 
A italiana Sara Errani confirmou a condição de melhor jogadora do torneio e conquistou a segunda edição do Rio Open apresentado pela Claro. Na decisão, na tarde deste domingo, Errani derrotou a eslovaca Anna Schmiedlova por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (2) e 6/1. O título do Rio Open é oitavo de simples da carreira da italiana.

Ela recebeu premiação de U$ 43 mil e somou 280 pontos no ranking, passando da 16ª para a 12º posição na lista da WTA que sairá nesta segunda-feira. Schmiedlova ficou com U$ 21.400 e 180 pontos. O Rio Open apresentado pela Claro é o maior torneio de tênis da América do Sul, com disputas simultâneas de um ATP 500 e de um da WTA International.

Em sua trajetória para o título, Errani perdeu apenas um set, para a brasileira Beatriz Haddad Maia, nas quartas de final. Na estreia, eliminou a também brasileira Teliana Pereira. No jogo contra Schmiedlova, de 20 anos e cabeça de chave número 6, Errani fez um primeiro set equilibrado. Até o 3 a 2, ninguém havia confirmado o serviço. A italiana ficou à frente no 4 a 2, mas permitiu nova quebra e viu a eslovaca fazer 5 a 4 e ter um set point. A experiência de Errani prevaleceu e o jogo foi para o tie-break, com a italiana confirmando.

Schmiedlova, que começou a semana como 75ª do mundo, sentiu a perda do primeiro set e caiu de rendimento no segundo. Se no primeiro fez longas trocas de bola com Errani, no segundo, passou a cometer vários erros, facilitando a vida da italiana. 

Foi o primeiro título de simples de Errani nesta temporada. A vice-campeã de Roland Garros em 2012, havia alcançado a terceira rodada no Aberto da Austrália, e perdido na estreia em Sydney e Auckland. Aos 27 anos, a italiana joga também duplas com a compatriota Roberta Vinci. Ela soma 25 títulos, sendo cinco de Grand Slams. 

Depois de receber o troféu criado pelo designer Antonio Bernardo das mãos da lenda Maria Esther Bueno, Errani falou sobre a semana especial que viveu no Rio. "Foi uma semana difícil, especialmente fisicamente, mas também incrível. Nunca havia vindo ao Brasil, e fiquei encantada. O público é fantástico e, com certeza, nos veremos no ano que vem", disse a jogadora, que também sonha em disputar pela terceira vez uma edição de Jogos Olímpicos. "É especial disputar as Olimpíadas, pena que não será no saibro, mas quero disputar", disse a ex-número 5 do ranking, se referindo a edição do Rio-2016. 

Schmiedlova disputou sua primeira final de um WTA International e disse que saiu feliz com o vice-campeonato. "A atmosfera do torneio é ótima, foi uma bela semana, e saio satisfeita por  disputar primeira primeira decisão", disse a eslovaca.

Compartilhe