Guga traz sua alegria ao Rio Open e elogia realização do torneio em momento difícil do país

22.Fev.2018

Convidado de gala do Rio Open apresentado pela Claro, Gustavo Kuerten chegou nesta quinta-feira na cidade para acompanhar a competição. O tricampeão de Roland Garros, muito requisitado pelos fãs por onde passa no Jockey Club Brasileiro, elogiou a realização do torneio e a importância da presença de grandes nomes do tênis, principalmente pelo momento difícil que o Brasil está enfrentando. Os ingressos para as rodadas de sexta (23) e sábado (24) estão esgotados. Para domingo estão à venda no site www.tudus.com.br/rioopen .

"Temos que aplaudir a realização do Rio Open, porque está difícil fazer as coisas acontecerem no Brasil, vivemos um momento muito delicado. Vejo que o torneio evoluiu a cada ano, e já está estabilizado, temos grandes nomes por aqui, Cilic, Monfils, os brasileiros das duplas. Também é extraordinário a iniciativa de trazer pessoas de classes mais baixas para conhecer, experimentar, e participar das clínicas. Neste ano foi a vez de ter também o tênis adaptado (clínica para pessoas com deficiência), uma coisa muito legal", disse o ex-número 1 do mundo que ainda comentou a consolidação do ATP 500 no circuito profissional."O mais difícil era fazer essas cinco primeiras edições. Agora chegar ao 10o. ano é mais fácil. O torneio está consolidado".

O brasileiro falou também sobre ter ficado em 21º lugar numa lista de 50 nomes da renomada revista norte-americana "Tennis", que está elegendo os maiores jogadores da Era Aberta (a partir de 1968) que conquistaram Grand Slam. A públicação está anunciando os jogadores eleitos aos poucos. A lista completa com 50 nomes, 25 de cada sexo, sairá na edição de março/abril. "Fiquei surpreso, é extraordinário estar entre nomes de tenistas grandiosos, principalmente porque minha carreira foi curta. Acho que estou tão bem colocado porque essa eleição vai além das vitórias e conquistas, tem a ver com meu jeito, de colocar emoção nas conquistas, tocar o coração das pessoas, que acho que foi minha marca dentro de quadra", disse o jogador, que mais uma vez entregará o troféu ao campeão do Rio Open.

Guga comentou também sobre o retorno de Roger Federer à liderança do ranking aos 36 anos. "Não imaginava que ele pudesse voltar a ser número 1, acho que nem ele. Aí machucou o joelho, ficou um período afastado, e deve ter voltado pensando apenas em jogar, sem pretensão, e aí as coisas foram acontecendo", completou. 

Compartilhe