O Rio de Janeiro volta a ser o ponto de encontro dos grandes nomes do tênis mundial a partir de sábado, dia 15, com o início da sétima edição do Rio Open apresentado pela Claro. Com o número 4 do mundo confirmado e 11 jogadores entre os 50 melhores do mundo, o maior torneio de tênis da América do Sul e único da ATP no Brasil espera reunir 50 mil pessoas no Jockey Club Brasileiro, em um espaço que une ainda boa gastronomia, produtos exclusivos, exposição de arte e música de qualidade.

“É muito gratificante acompanhar de perto o crescimento do Rio Open. A gente se inspira muito nos grandes torneios de tênis do mundo. O objetivo é trazer o que há de melhor para o público, sem perder nossa identidade, o nosso DNA. É o nosso “grand slam” brasileiro!”, comemora Marcia Casz, diretora geral do Rio Open. “Temos uma experiência incrível dentro e fora das quadras. É um evento”, finaliza.

Abrindo o torneio, nos dias 15 e 16, acontece a disputa do Qualifying, com entrada gratuita. Já na segunda-feira, dia 17, tem início a chave principal, com a Grande Final acontecendo no dia 23. O torneio tem grandes nomes garantidos na chave, como o austríaco Dominic Thiem, o argentino Diego Schwartzman, o croata Borna Coric, o espanhol Fernando Verdasco, o brasileiro número um do país Thiago Monteiro e os convidados Felipe Meligeni e Carlos Alcaraz. Os ingressos podem ser adquiridos no site www.tudus.com.br/rioopen com preços a partir de R$ 30.

O tênis é a atração principal, mas também há muitas outras opções de entretenimento, numa estrutura comparável à de grandes eventos do circuito mundial. O Rio Open conta com uma área interativa de aproximadamente 10 mil m², o Leblon Boulevard, que oferece opções de stands, lojas, entretenimento e gastronomia, além das ativações dos patrocinadores para torcedores de todas as idades. Neste ano, a área será coberta, garantindo mais conforto para o visitante nos intervalos dos jogos.

O Rio Open é exibido ao vivo para 170 países, levando imagens positivas do Rio de Janeiro para o mundo. Dos visitantes do evento, 30% são de fora da cidade. O torneio injeta mais de R$ 100 milhões na economia do estado, gerando renda e emprego e transformando a vida das pessoas. Essa transformação também está presente para as mais de 600 crianças dos projetos sociais apoiados pelo evento

Esportivamente o torneio também é conhecido pelo seu alto nível. É o primeiro ATP World Tour 500 da história do Brasil e integra o seleto grupo de 13 torneios denominados ATP 500, sendo um dos 22 mais importantes do calendário da ATP e único que ocorre no país. Isso o credencia como o maior evento esportivo anual do Rio de Janeiro e um dos únicos torneios ATP 500 de saibro no mundo.

Conheça a experiência completa do Rio Open:

Praça Rio Open e Espaço Pedra da Gávea

Um dos locais mais disputados do torneio é a Praça Rio Open, que conta com o Bar Petra, com cervejas geladas e a opção de copos reutilizáveis, telão gigante para não perder um ponto sequer e uma belíssima vista para o Cristo. Já o Espaço Pedra da Gávea, novidade este ano, reúne o Bar Grey Goose e os caixas do evento, que pela primeira vez utilizará pulseiras de pagamento com o sistema cashless, que aceita também Santander Pass, trazendo mais tecnologia e comodidade para o público. O valor não utilizado será devolvido para o cliente após o evento mediante cadastro no site  https://rioopen2020-pcs-wwws.intellitix.com/  

Arte

A arte é outro elemento importante para o Rio Open que, desde 2015, fecha parcerias com artistas plásticos brasileiros para a ilustração do pôster oficial. O convidado para assinar a arte da sétima edição foi o carioca José Bechara. Ele se inspirou em um momento específico para criar a obra que ilustra o pôster do evento, quando a bola toca levemente na rede e cai na quadra do adversário. Intitulada Randômica, a peça que serviu como modelo mede 20x80x5cm e é toda feita em aço, pesando aproximadamente 55 kg. Ela estará exposta durante todo o torneio no Rio Open Arte e também nos produtos personalizados.

Moda e produtos exclusivos

Para deixar a experiência de ir ao evento marcada na memória, a La Boutique – loja de produtos oficiais do Rio Open – reunirá itens especiais para quem desejar levar uma lembrança da sétima edição para casa. A loja chega com novidades para 2020, como as pulseiras feitas com corda de raquete usada durante o torneio, que serão produzidas no Rio Open, e bonés. Os fãs do torneio também poderão adquirir o disputado body para bebês e a toalha oficial, dois itens que foram sucesso nas últimas edições. Além de copos com os nomes de todos os campeões e camisas com o pôster oficial do torneio. Todos esses produtos são verdadeiros itens de colecionador, já que não são encontrados em lugar nenhum além do Rio Open. A La Boutique também oferecerá pop sockets, sacochilas, camisetas infantis, canetas, canecas, copos de bolso, squeezes, cordões para pescoço lanyard, pins, ímas de geladeira, ecobags, tags de bagagem, almofadas, chaveiros, coleiras para pets e guarda-chuvas.

A Fila, patrocinadora do evento, também conta com uma loja com produtos exclusivos para o torneio.

Gastronomia

Se as quadras do Rio Open recebem nomes consagrados, grandes marcas da gastronomia se reúnem no Leblon Boulevard. Famoso por toda estrutura, comparável à dos principais torneios do circuito mundial, neste ano o espaço interativo aumenta mais de 70% em relação a 2019. Top 100 do mundo e dono de uma estrela Michelin, o premiado Lasai traz pratos elaborados pelo chef Rafa Costa e Silva especialmente para sua estreia no Rio Open. Já a Greenpeople terá um produto de edição limitada para o Rio Open, chamado Match Point, cuja porcentagem da venda será revertida para os projetos sociais apoiados pelo evento. A Las Empanadas apresenta a Empanada Rio Open, de cordeiro, elaborada pela chef Katia Barbosa do Aconchego Carioca. O espaço gastronômico oferece ainda o sanduíche de costela da Vulcano, o cachorro quente Geneal, os açaís da Oakberry, pizzas com queijos Scala, petiscos e sanduíches gourmet do Seu Vidal, os brigadeiros da Fabiana D’agenlo, o café da Melitta, os sorvetes do Momo, as pipocas da Cinemark e as tapiocas da Tapí.

Os bares da Petra, Grey Goose e Salton oferecerão bebidas para todos os gostos durante o evento. O Bar Petra com cervejas geladas na Praça Rio Open, o Bar Salton com seus famosos espumantes no Espaço Arte e o Bar Grey Goose com drinks a base de vodka no espaço Pedra da Gávea.

Música

Presente nas últimas edições do Rio Open, a música já faz parte do torneio e terá um formato diferente neste ano, sem um palco fixo. Na sexta, sábado e domingo das finais (dias 21, 22 e 23) o público terá boa oferta de música dentro e fora das quadras. Na sexta, o visitante será recepcionado pelo Digga Digga Duo, com um resgate de canções das décadas de 20 e 30. A quadra central irá receber o saxofonista Rodrigo Sha nos intervalos das partidas, além de participações fora de quadra. No sábado, a dupla Mario Vitor e Danilo Fiani, do Harrison & McCartney Tribute, leva clássicos dos Beatles para o Leblon Boulevard. No domingo da final, os fãs de tênis chegam ao Rio Open embalados pelo violino de Thiago Teixeira, violinista da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, enquanto as violinistas e a DJ do Trítony mostram toda sua energia na Quadra Central.

Exclusividade

Uma área de relacionamento especial para os convidados, a área VIP do torneio – Corcovado Club – conta com uma ambientação realizada pela Lider Interiores. Com 75 anos de atuação, a empresa convidou o escritório Fadul Copello para assinar o espaço com peças que destacam a influência do design brasileiro contemporâneo, como o Sofá Gomos e a Poltrona Lina. A dupla de arquitetas Ana Luiza Jardim e Tina Pessoa retorna para cuidar da ambientação da recepção e dos lounges dos patrocinadores, com peças como o Banco Botão, a Mesa de Centro Canguru e a Poltrona Abrachi. A fachada, que esse ano vem repaginada, tem novamente a marca do Abel Gomes, da P&G Cenografia. Os parceiros de bebidas Salton e Bacardi, também marcam presença no espaço. Salton levará rótulos famosos como o espumante Giornata, o premiado Salton Ouro e os vinhos tintos da linha Paradoxo. Já Bacardi terá um drink especial no domingo da final, o Sunset Spritz. O Chef Marcones Deus, do Pax Delícia e que assina o buffet desde a primeira edição, convida o Chef  Sandro Mota, do paraense Dom Mani, para elaborar um prato especial para o final de semana das finais. O espaço contará também com obras do artista convidado José Bechara.

Social

Desde sua primeira edição o Rio Open segue firme na plataforma social, com cinco projetos apoiados, todos ligados ao tênis: Instituto Futuro Bom, Tênis na Lagoa, Fundetennis, Escolinha de Tênis Fabiano de Paula e Arremessar para o Futuro são parceiros da competição, além do NERO – Núcleo Esportivo Rio Open. O evento realiza o Torneio Winners, uma competição voltada especialmente para as crianças e jovens que frequentam os projetos. Os integrantes dessas instituições também ganham ingressos para assistir às partidas do Rio Open e alguns deles fazem parte da equipe de Ball Kids, os famosos “boleiros”. Desde a edição de 2019 são selecionados cerca de 15 jovens dos projetos para trabalharem nos bastidores do evento. 

Sustentabilidade

A preocupação com a sustentabilidade sempre esteve presente no evento e, para a sétima edição, o Rio Open Green chega para marcar um novo ciclo do torneio. Em uma iniciativa da ENGIE, as emissões estimadas em cerca de 1.080 toneladas de CO2 do Rio Open, serão compensadas com créditos de carbono cedidos pela Usina Hidrelétrica Jirau – Sociedade de Propósito Específico que tem como acionistas a ENGIE (40%), Eletrobras Eletrosul (20%), Eletrobras Chesf (20%) e Mizha Participações S.A. (20%). Ao final do evento será feito o balanço final das emissões, chegando ao número efetivo da quantidade de CO2 a ser compensada. Incluindo todas as fontes relativas ao torneio em si, desde a montagem até a desmontagem, além de emissões com deslocamento de atletas e equipe técnica, bem como o consumo adicional da energia elétrica pelo Jockey Club Brasileiro durante o Rio Open.

O Rio Open também irá gerenciar os resíduos através de três etapas: redução, reciclagem e reutilização. Alguns exemplos de redução são os copos reutilizáveis disponíveis nos bares e sacolas 100% ecológicas para os produtos adquiridos na La Boutique. Na reciclagem, serão implementadas algumas ações como a destinação de resíduos orgânicos para compostagem e a de recicláveis para cooperativas de catadores licenciada, utilização de coletores específicos para resíduos orgânicos e óleo de cozinha, uso de materiais recicláveis como papel e suprimentos dos banheiros e treinamento para as equipes, por exemplo. Na reutilização de materiais, além das pulseiras feitas com cordas das raquetes utilizadas no torneio, o Rio Open irá destinar lonas para uso de cooperativas parceiras, tampinhas de garrafas para serem trocadas por cadeiras de rodas e irá doar bolas, raquetes e sobras de uniformes para projetos sociais. O evento irá também fazer uma campanha com o público do Rio Open para arrecadar raquetes para projetos sociais, com um ponto de coleta dentro do stand da Head. Para cada uma doada, a fornecedora oficial da bola do evento irá doar outra. O Rio Open também irá conscientizar e estimular os patrocinadores e parceiros do evento sobre as iniciativas sustentáveis.

FoxTenn

Em mais uma inovação tecnológica, o Rio Open contará com o sistema de revisão eletrônica no saibro. O revolucionário sistema espanhol FoxTenn, primeiro a ser certificado oficialmente por todas as principais entidades do tênis, está em fase de testes no circuito da ATP e será utilizado no saibro pela primeira vez. Os jogadores poderão pedir o desafio de forma ilimitada e os árbitros de cadeira não precisarão deixar a cadeira para verificar a marca da bola na quadra, valendo a chamada do sistema.

Os dados gerados, como precisão, altura e velocidade da bola, serão disponibilizados no telão do Rio Open durante os jogos, enriquecendo a experiência do fã de tênis. As estatísticas também serão fornecidas para os jogadores, colaborando com a experiência tática do atleta. Aliado ao Shot Clock, que já está incorporado ao Rio Open, o público terá garantia de interação extra com o jogo em quadra.

Programação

A programação para a chave principal contará com duas sessões de segunda-feira a quinta-feira: Sessão 1, com início às 16h30; e Sessão Noite, a partir de 19h. Já de sexta-feira a domingo, o torneio terá sessão única. A sessão 1 será composta pelo 1º jogo da Quadra Central e mais todos os jogos das quadras externas. A sessão noite será formada pelos jogos que começam a partir de 19h na Quadra Central, além dos jogos nas quadras externas. Vale destacar que qualquer ingresso dá acesso ao complexo que será montado no Jockey Club Brasileiro, não importa a sessão. A Grande Final será uma atração à parte. Quem garantir o ingresso para a decisão do título de 2020 encontrará ativações únicas e terá o nome gravado no mural do maior torneio de tênis da América do Sul.

Share this post on: