Os atletas brasileiros cadeirantes Ymanitu Silva, décimo colocado do ranking mundial na categoria Quad, e Daniel Rodrigues, 12º da categoria Open, disputaram uma partida exibição com seus técnicos neste domingo, no Rio Open apresentado pela Claro. Rodrigues e Sérgio Afonso venceram Silva e Bruno Baptista por 6/3.

A partida teve o objetivo de dar visibilidade aos atletas cadeirantes para os Jogos Paralímpicos Tóquio 2020. A ação é uma parceria do Rio Open, Fila e Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

Rodrigues, de 33 anos, é o primeiro colocado no ranking brasileiro e medalhista de prata e de bronze nos Jogos Parapan-americanos Toronto 2015. Portador de malformação congênita nas pernas, jogava futebol de muletas, quando um professor o encaminhou para o tênis em cadeira de rodas. Na época tinha 19 anos. No ano passado, Rodrigues venceu o Aberto da Suíça.

Silva, de 36 anos, foi quinto colocado nos Jogos do Rio 2016 e vice-campeão de duplas em Roland Garros no ano passado. O atleta jogava tênis desde criança e sofreu um acidente de carro aos 24 anos, quando teve uma lesão na coluna cervical. Na decisão em Roland Garros, a primeira de um cadeirante do país em Grand Slam, Silva contou com a torcida do tricampeão Gustavo Kuerten na arquibancada.

 

 

Share this post on: