Com título de Carlos Alcaraz, o maior torneio de tênis da América do Sul e único da ATP no Brasil contou com ação inédita de neutralização de emissões de Co2 geradas pelo deslocamento do público

O Rio Open apresentado pela Claro reforçou sua importância para o calendário do tênis com grandes nomes do esporte em quadra, diversas atrações para o público fora dela e o incentivo para crianças e jovens de projetos sociais com o Rio Open Kids e o Torneio Winners. O espanhol Carlos Alacaraz foi o grande campeão neste domingo, dia 20, no Jockey Club Brasileiro, com o argentino Diego Schwartzman com o vice-campeonato. Nas duplas, os italianos Simone Bolelli e Fabio Fognini ficaram com o título, seguidos pelo escocês Jamie Murray e o brasileiro Bruno Soares.

Fora das quadras, o maior torneio de tênis da América do Sul e único da ATP no Brasil reuniu 60 mil pessoas no Jockey Club Brasileiro. Quem não pôde estar presencialmente no evento, teve a opção de assistir pelo SporTV a mais de 60 horas de transmissão. O sinal da TV foi enviado para cerca de 170 países e o material produzido pelos 165 jornalistas credenciados levou todo o clima da competição para o mundo.

“O público que esteve no Jockey viu como a nova geração do tênis brasileiro está voando nas quadras. A oitava edição do torneio marcou a volta do Rio Open e nos mostrou como fomos abraçados pelo Rio de Janeiro. O sucesso da vacinação nos permitiu fazer o torneio com toda segurança possível e receber novamente os fãs de tênis. Podemos comemorar o sucesso do evento que já faz parte do calendário da Cidade Maravilhosa. Cariocas e turistas de outras regiões transformaram o Leblon Boulevard em uma verdadeira mistura de sotaques e idiomas”, afirma Marcia Casz, diretora geral do Rio Open. “Vamos manter a evolução e a inovação características do torneio para manter acesa a experiência do Rio Open ao longo do ano”, completa.

“Tivemos excelentes partidas nesta edição, em especial com o Bruno Soares na final de duplas e a partida de simples com Alcaraz x Schwartzman. Não poderíamos ter um cenário melhor. Tivemos 100% dos ingressos vendidos em todas as sessões praticamente e o retorno dos patrocinadores e atletas foi muito positivo. Conseguimos reunir grandes nomes do cenário atual do esporte para uma edição muito forte tecnicamente. É especial poder voltar com o evento, trazer um pouquinho de felicidade, um pouquinho de bons momentos depois de tanto tempo. Para quem é do tênis, poder viver isso novamente, foi mais do que especial”, comemora Luiz Carvalho, diretor do Rio Open.

Uma das grandes novidades dessa edição foi a compensação de Co2 derivada do transporte do público. Depois de obter o reconhecimento da ONU pelas iniciativas, o Rio Open deu mais um importante passo no processo de neutralização do impacto ambiental de suas atividades. Em parceria com a ENGIE, maior empresa privada de energia do Brasil, além da descarbonização do evento em si, a organização do Rio Open neutralizou também as emissões de Co2 derivadas do deslocamento do público. Para isso, todos que compraram ingressos deveriam incluir o código em www.neutralizarioopen.com.br e calcular as emissões do próprio transporte até o local, sem nenhum custo ou compromisso adicional.

O objetivo é que o Rio Open seja um modelo de responsabilidade ambiental, em linha com os principais eventos esportivos do mundo. O trabalho contempla a neutralização das emissões decorrentes da realização do torneio e desenvolvimento de ações sustentáveis. Esse compromisso se inicia bem antes do evento, quando são aplicados os princípios da circularidade na cadeia de resíduos, através de três etapas: redução, reciclagem e reutilização. Um exemplo de redução são os copos reutilizáveis disponíveis nos bares. Na reciclagem, são implementadas ações para a destinação de resíduos orgânicos para compostagem e de recicláveis para cooperativas licenciadas. Todas as concessionárias de alimentação e bebida também utilizam materiais recicláveis.

A La Boutique, loja oficial do evento, teve recorde de vendas. Os bonés masculinos, copo, squeeze, chaveiro quadra e toalha laranja com baixo relevo em formato da quadra (novidade deste ano), foram os primeiros a esgotarem. A camiseta com estampa do pôster oficial do Maxwell Alexandre virou item de colecionador. A peça fez sucesso e foi possível ver o público desfilando com a camisa durante o evento. O mesmo aconteceu com a sacochila e gymbag laranja, que precisou de reposição ao longo dos dias. Outro produto que caiu nas graças do público foi o display com a bolinha oficial do evento. Produzido pela LLTP( Long Live the Passion), parceira do evento, o objeto em plástico reciclado e em formato de troféu, esgotou em apenas quatro dias e virou um produto desejado, voltando ao estoque.

O Leblon Boulevard, área interativa de aproximadamente 10 mil m² é comparável à de grandes eventos do circuito mundial e ofereceu muito entretenimento e gastronomia, com diversas ativações dos patrocinadores, restaurantes, bares e foodtrucks. O público pôde escolher entre diversas opções de alimentação entre um set e outro. Este ano, o Guita Bistrô foi novidade com a chef Carolyna Vaz como convidada e o Boulevard ainda contou com produtos específicos para o evento de marcas já consagradas no torneio, como o Geneal e o Seu Vidal.

Um dos locais mais disputados do torneio foi a Praça Rio Open, que contou com o Bar Petra, com cervejas geladas, telão gigante para não perder um ponto sequer e uma belíssima vista para o Cristo. Novidade desta edição, uma das áreas de destaque do evento, o Corcovado Club ganhou mais espaço e os convidados tiveram mais uma área vip – o “Espaço Pedra da Gávea”. Com 400m², os amantes do esporte puderam aproveitar a comodidade e ter uma experiência completa nos dias de competição. Os dois espaços contaram com uma ambientação realizada pela Lider Interiores.

Confira alguns números e curiosidades do Rio Open 2020:

  • Quadras de saibro: 09
  • Capacidade da quadra central: 6.200
  • Capacidade da quadra 1: 1.000
  • Empregos gerados: 2.345
  • Projetos sociais: 3 (que ajudam em torno de 600 crianças)
  • Tamanho Leblon Boulevard: 10.000m²
  • Total de jogadores: 62 jogadores
  • Países: 17 (Brasil, Itália, Argentina, Servia, Espanha, Bolívia, Colômbia, Alemanha, França, México, Uruguai, Croacia, Bosnia, Equador, Escócia, Noruega, Chile)
  • Partidas disputadas: 27 jogos simples e 15 de duplas (além de uma de exibição de duplas de cadeirantes com seus técnicos)
  • Premiação: U$ 1.815,115
  • Membros da ATP: 56 (Juízes de linha: 46, Juízes de cadeira: 6, Referee: 01, Supervisores: 02, Chefe de Juiz: 01)
  • Jornalistas credenciados: 165
  • Países alcançados com a transmissão: cerca de 170
  • Horas de transmissão: mais de 60 horas no SporTV 3 com as partidas da Quadra Central
  • Boleiros: 64 + 1 coordenador
  • Toneladas de pó de saibro: 14
  • Tratadores de quadra: 23
  • Assistentes de quadra: 8
  • Raquetes encordoadas – quase 500 raquetes – 6km de corda
  • Bolas: 5.040
  • Toalhas: 1576

Itens mais vendidos na La Boutique:
Bonés masculino
Squeeze
Chaveiro quadra
Toalha laranja
Sacochila
Display LLTP com a bolinha oficial do evento
Copo dos campeões

Share this post on: