Prestes a realizar a nona edição do torneio, a organização do Rio Open de Tênis recebe mais um reconhecimento por seu compromisso com a sustentabilidade. Pela segunda vez, o Torneio foi certificado pela ONU como evento “Carbono Neutro”, por conta das ações promovidas para neutralizar as emissões de gases de efeito estufa durante a edição de 2022 (de 12 a 20 de fevereiro). Em parceria com a ENGIE, empresa líder no setor de energia no Brasil, o Rio Open 2022 compensou um total de 1144 toneladas de CO2 através de créditos cedidos pela Usina Hidrelétrica de Jirau, da qual a ENGIE é acionista com 40% de participação, ao lado de Mitsui (20%), Eletrobras Chesf (20%) e Eletrobras Eletrosul (20%).

“Ter o reconhecimento de uma instituição como a ONU é motivo de grande alegria. Seguimos com o firme propósito de levar alegria e de cuidar das pessoas. Para isso, temos procurado ampliar o compromisso com a sustentabilidade. Na edição passada, demos mais um passo no processo de neutralização das pegadas climáticas das atividades do Torneio. Além da descarbonização do evento em si, neutralizamos também as emissões de CO2 derivadas do deslocamento do público. Esse trabalho teve o devido reconhecimento”, declarou Márcia Casz, diretora geral do torneio.

Assim como em 2020, ano em que recebeu por iniciativa da ENGIE, pela primeira vez, o certificado da ONU pela contribuição voluntária com as metas globais de descarbonização, o Rio Open 2022 neutralizou todas as emissões de carbono oriundas das operações de montagem e desmontagem de estrutura, do consumo de energia elétrica pelo Jockey Club Brasileiro durante o torneio, e das viagens aéreas nacionais e internacionais dos atletas e das equipes técnicas. Das 1144 toneladas de CO2 compensadas pelo Rio Open 2022, 275 toneladas estão relacionadas diretamente com a organização do evento, número que, comparado com as 401 toneladas que haviam sido geradas no Rio Open 2020, aponta para uma redução de cerca de 31%. Tal redução, cabe ressaltar, indica o sucesso das estratégias de mitigação de emissões de CO2, e não somente de compensação. As outras 868 toneladas de CO2 compensadas pelo Rio Open 2022 vieram da iniciativa pioneira de neutralizar as emissões produzidas pelos deslocamentos (aéreos e terrestres) do público até o local do evento.

“O patrocínio ao Rio Open está em linha com nossa estratégia de branding para o Brasil e a neutralização das emissões de gases de efeito estufa do torneio, por meio de créditos de carbono da hidrelétrica Jirau, é uma forma de demonstrarmos como podemos agir para combater as mudanças climáticas. Esse ano, ao neutralizarmos os escopos 1, 2 e 3, fomos mais ambiciosos, o que demonstra o compromisso da ENGIE e do Rio Open com o futuro do planeta”, afirmou o diretor de Comunicação e Responsabilidade Social da ENGIE Brasil, Gil Maranhão.

As medidas de neutralização de emissões de CO2 adotadas pelo Rio Open fazem parte da plataforma de sustentabilidade do torneio, chamada Rio Open Green, que ainda inclui uma série de iniciativas de gerenciamento de resíduos, entre as quais: redução da utilização de plásticos em todas as fases de organização do evento; priorização de materiais recicláveis; opção por copos reutilizáveis nos bares do Leblon Boulevard e sacolas 100% ecológicas para os produtos adquiridos na La Boutique; uso de coletores específicos para resíduos orgânicos; destinação de recicláveis e lonas para cooperativas licenciadas, de resíduos orgânicos para usinas de compostagem e de tampinhas de garrafas para serem trocadas por cadeiras de rodas; doação de bolas, raquetes e uniformes para projetos sociais.

O Rio Open chegará em 2023 (de 18 a 26 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro) à sua 9ª edição, apresentando uma galeria de campeões com nomes como Rafael Nadal, David Ferrer, Pablo Cuevas, Dominic Thiem, Diego Schwartzman, Laslo Djere, Cristian Garin e Carlos Alcaraz, atual 4º colocado do mundo e já confirmado para retornar em 2023. Entre os tenistas que já estiveram no top 10 do ranking da ATP, o Rio Open também viu em ação Kei Nishikori, Jo-Wilfried Tsonga, John Isner, Marin Cilic, Gael Monfis e Fabio Fognini. Para 2023, o Rio Open promete seguir usufruindo do privilégio de ser um evento esportivo mundialmente reconhecido por não apenas promover ações socioambientais, mas também conscientizar sua enorme comunidade de seguidores dos cuidados necessários para a preservação da natureza.

O Rio Open é uma promoção da IMM com realização do Instituto Carioca de Tênis.

Share this post on: